FANDOM






Quote1 Saibam, Vingadores, que vocês devem pagar pela calamidade que se apossou de meu filho! Vocês devem ser punidos! ...E o punimento dever ser MORTE POR TORTURA!! Tal é a vontade de ZEUS!! Quote2
-- Zeus fonte 

História antiga

Zeus cresceu entre os pastores do Monte Ida, em Creta, e partiu atrás de vingança contra Cronos ao se tornar adulto. Zeus desce até o Tártaro e libertou seus irmãos, os quais também já eram todos adultos. Zeus também libertou os três gigantes de um olho só chamados de Ciclopes e os três gigantes de cem braços chamados de Hecatônquiros, todos os quais haviam sido aprisionados lá por Cronos, temendo que eles ajudassem a derrubá-lo. Os gratos Ciclopes ensinaram a Zeus como usar seus poderes de manipulação de energia em batalha. Zeus e seus aliados lutaram uma guerra de dez anos contra os Titãs, a qual terminou com a vitória de Zeus. Ele aprisionou a maioria dos Titãs machos no Tártaro e se estabeleceu na pequena dimensão de “bolso” do Olimpo como governante supremo da raça Olimpiana.

Zeus se casou com a deusa Hera, mas se envolveu em muitos casos amorosos com deusas e mortais da Terra, tanto antes como durante a Idade Heroica da Grécia antiga. Alguns de seus filhos eram deuses, enquanto outros eram seres humanos mortais, como Helena de Troia. O filho de Zeus com a mortal Alcmena, Hércules, nasceu como mortal, mas Zeus o transformou em um deus imortal mais tarde.

Zeus, Hera, Netuno, Deméter e Vesta, juntos com os filhos de Zeus, Apolo, Ares, Artemis, Atena, Hefesto, Hermes e Afrodite, formavam o alto conselho dos deuses Olimpianos conhecido como o Panteão. Vesta mais tarde desistiu de seu assento no conselho em favor do filho de Zeus Dioniso. O irmão de Zeus, Plutão, não era um membro do Panteão, preferindo gastar praticamente todo seu tempo no Hades, o qual ele governava.

Nos tempos antigos, Zeus e seus companheiros Olimpianos tiveram sucesso em derrotar os desafios ao seu reinado pelos gigantes Oto e Efialtes, por um pequeno exército de gigantes sobre-humanos e, o mais perigoso, pelo monstro Typhoeus, pai de Tifão, o Titã que havia ameaçado os Olimpianos recentemente.

Em 50.000 a.C., os habitantes de Atlântida aparentemente idolatravam Júpiter,[3] embora não esteja claro se é Zeus ou outra entidade.

Após o fim da Era Hiboriana, os deuses Olimpianos procuraram adoradores na Terra. (Não está claro se os deuses Olimpiano existiam durante a Era Hiboriana. Certa vez, os descendentes dos Gregos que podiam viajar no tempo, os quais vieram para a Era Hiboriana desde os tempos de Alexandre, o Grande, encontraram uma habitante nativo da Era Hiboriana. Esse nativo da Era Hiboriana, ao ouvir essas pessoas invocarem o nome de Zeus, afirmou "Nunca ouvi falar de um deus ou demônio chamado Zoos".) Netuno se tornou o deus patrono dos respiradores de água, os Atlantes, sendo adorado em 5800 a.C. Zeus procurou que os deuses Olimpianos fossem adorados pelas pessoas da terra conhecida como Grécia.

Zeus também descobriu que o Monte Olimpo da Grécia, a localização da principal conexão inter-dimensional entre a dimensão dos Olimpianos e a Terra, se encontrava próximo a Olímpia, a principal cidade dos Eternos. Zeus e sua filha Atena, a deusa da sabedoria, tiveram um encontro com Zuras, o líder dos Eternos, e sua filha Azura. Notando a incrível semelhança física entre Zeus e Zuras e entre Azura e si mesma, Atena sugeriu que os deuses Olimpianos e os Eternos formassem uma aliança, onde os Eternos iriam agir como os representantes dos deuses na Terra. Todos entusiasticamente concordaram, e Azura tomou o nome de Thena como forma de assinar o pacto. No entanto, com o passar dos tempos, muitos humanos começaram a pensar nos Eternos não como representantes dos deuses, mas como os próprios deuses. Isso levou a um crescente ressentimento dos deuses com os Eternos, o qual acabou eclodindo em uma breve guerra.

Os adoradores dos deuses Olimpianos se espalharam da Grécia para Roma e através de todo Império Romano. Inicialmente, os deuses interviam frequentemente nos assuntos humanos, como na Guerra de Troia, mas foram parando com o passar do tempo. Quando o Cristianismo finalmente substitui a adoração dos deuses Olimpianos no Império Romano, Zeus decidiu que havia chegado a hora dos Olimpianos partirem seus laços com a Terra. Netuno, no entanto, ainda tinha permissão de cuidar dos seus adoradores Atlantes.

Como os adoradores dos deuses Olimpianos haviam sumido, Zeus proibiu seu irmão Plutão, governante do Hades, o submundo Olimpiano, de continuar coletando as almas dos mortos da Terra. Embora relutante, Plutão acabou acatando as ordens de Zeus. Por fim, o ressentido Plutão se convenceu de que Zeus havia provado ser um líder incompetente por permitir que a adoração dos Olimpianos chegassem ao fim. Zeus, notando a rebeldia de Plutão, o avisou contra tentativas de roubar seu trono. Apesar disso, Plutão tentou, sem sucesso, derrubar Zeus, assim como o próprio filho de Zeus, o deus da guerra Ares.

No entanto, apesar do fim da adoração dos deuses Olimpianos, Zeus manteve sua afeição e interesse pelas pessoas da Terra.

Um milênio atrás, o filho de Zeus, Hércules, liderou um grupo de guerreiros que ele havia transportado através do tempo para enfrentar os Nórdicos que estavam sob a proteção do deus Asgardiano Thor. Este conflito levou a uma guerra entre os Asgardianos e os Olimpianos. Zeus secretamente se reuniu com Odin, o governante dos Asgardianos, e os dois deuses não só deram um fim à guerra, mas também formaram uma aliança para defender a Terra do perigo que os alienígenas Celestiais representavam. Odin e Zeus se reuniram com os líderes das outras raças de deuses que eram ou já haviam sido adorados pelos mortais da Terra para discutir a possível ameaça dos Celestiais para a Terra, e então Odin, Zeus e o deus Hindu Vishnu confrontaram a Terceira Expedição dos Celestiais em nome de todos os deuses da Terra. No entanto, Odin e Zeus foram forçados a prometer não interferirem quando Celestiais ameaçaram lacrar as passagens interdimensionais que ligavam as dimensões dos deuses com a da Terra. Como resultado, os deuses do Olimpo tiveram que diminuir seu contato com a Terra, embora os filhos de Zeus, Hércules e Afrodite, passaram um tempo vivendo entre os seres humanos da Terra nos últimos anos. Os Celestiais da Quarta Expedição recentemente decidiram poupar a Terra da destruição e deixaram o planeta.

Século 20 - como Júpiter

Arquivo:Zeus (Cira 1949) (Earth-616).jpg

Por razões desconhecidas, Zeus passou um longo período afastado, deixando o Olimpo sob o comando de Afrodite, durante um período no qual os Olimpianos começaram a adotar seus nomes Romanos. Eventualmente, Afrodite, agora chamada de Vênus, realocou o Olimpo para o planeta nomeado com base nela. Ela logo começou a fica entediada e retornou à Terra para encontrar o verdadeiro amor.[4] Em 1949, Zeus, agora chamando a si mesmo de Júpiter, descobriu sobre isso e acabou ficando furioso. Ele apareceu diante de Vênus e exigiu que ela retornasse ao Olimpo imediatamente, mas ela se recusou, afirmando que tinha trabalho a fazer na Terra, ajudando os casais a permanecerem juntos. Júpiter então a ofereceu um desafio, ela teria que encontrar um casal perfeito e deveria os manter unidos por uma semana, caso quisesse continuar na Terra. Vênus acabou encontrando o casal Meg Saunders e Danny Fine. Em uma tentativa de fazer com que Vênus perdesse, Júpiter enviou Apolo e Dafne para à Terra em disfarces mortais para tentarem separar o casal. No entanto, Vênus viu através das tentativas deles e os impediu, ganhando o direito de permanecer na Terra.[1]

Júpiter ficou mais benevolente com a missão de Vênus após isso, mas testava regularmente o seu direito de permanecer na Terra. Tendo anteriormente banido o deus Asgardiano Loki para o Hades, Júpiter foi forçado a liberá-lo devido a uma lacuna em seu banimento por ter permitido que Vênus permanecesse na Terra. Loki então começou a espalhar o ódio por toda a Terra, até que Vênus prometesse ser sua rainha no Hades. Júpiter interveio, dizendo a Vênus que ela havia passado em seu teste e baniu Loki ao Hades novamente.[5] Em seguida, quando a filha de Júpiter, Joya, acusou Vênus de abandonar sua divindade pelo amor do mortal Whitney Hammond, Júpiter concordou em ter um julgamento para provar as acusações de Joya. Vênus e Whitney Hammond foram levados ao Olimpo para serem julgados. No entanto, o julgamento acabou sendo interrompido quando Loki invadiu o Olimpo. Joya, vendo seus erros, se disfarçou como Vênus e se ofereceu como noiva para Loki para poder impedir a invasão. Logo após, Hammond provou seu dedicado amor a Vénus e Júpiter devolveu o casal para a Terra.[6]

Em 1950, Júpiter tornou-se uma espécie de ajudante de Vênus, vindo em seu auxílio sempre que ela o chamava. Quando Vênus estava tentando reunir os amantes Rona Sanders e George Huston, ela se viu em apuros devido ao fato de que Huston havia se apaixonado por ela e recusava-se a amar Rona, a qual estava morrendo de uma doença. Aparentemente, só o amor de George por Rona poderia curá-la. Vênus chamou Júpiter para a ajudar e ele deu a Rona uma porção dos poderes de Vênus, fazendo com que George a amasse e a curando de sua doença no processo.[7] Mais tarde, quando Apolo pediu para retornar a Terra para mais uma vez tentar ganhar o amor de Vênus, Júpiter negou o pedido. A fim de contornar esta situação, Apolo fez um acordo com o demônio Zoroba para possuir o seu corpo, enquanto o espírito do Apolo foi enviado à Terra. Zoroba aproveitou a oportunidade para trazer Loki ao Olimpo e se passando por Apolo, tentou convencer Júpiter a permitir que Loki deixasse seu exílio no Hades e residisse no Olimpo. No entanto, Vênus eventualmente descobriu a verdade e forçou Apolo a retornar ao seu corpo, e Júpiter mais uma vez baniu Loki de volta para o Hades.[8] Pouco tempo depois, Vênus e o engenheiro aeroespacial Rodney Dover acabaram ficando presos na lua e foram ameaçados por uma erupção vulcânica. Júpiter foi convocado mais uma vez e impediu o fluxo de lava, em seguida enviando Mercúrio para retornar Vênus e Rodney à Terra.[9]

A Terra ficou novamente em perigo quando o cientista Michael Templar construiu um dispositivo que ameaçava arremessar a Terra para o sol. Vênus procurou a ajuda de Júpiter para impedir isso, mas estava além de seu poder impedir que a Terra seguisse seu caminho para a destruição. Em vez disso, ele fez com que Mercúrio levasse Vênus para o homem responsável, para tentar fazê-lo impedir esse desastre. Conforme a Terra se aproximava da extinção, Júpiter apelou para Vênus retornar ao Olimpo, avisando-a de que mesmo uma deusa imortal podia não ser capaz de sobreviver a um mergulho no sol. No entanto, Vênus finalmente convenceu Michael a construir o dispositivo e salvar a Terra. Não muito tempo depois, o Olimpo foi ameaçado por criaturas que foram literalmente geradas pela mente de cientista louco Buffanoff. Júpiter recrutou a ajuda de Apoll e do deus Asgardiano do trovão, Thor, para defender o Olimpo das criaturas. Quando as criaturas provaram ser muito poderosas para serem impedidas, Vênus salvou o Olimpo, enganando-as a segui-la de volta ao cérebro moribundo do Professor, onde as criaturas também pereceram.[10]

Em 1951, Júpiter não poderia ajudar Vênus, quando ela estava presa na nação de Cassarobia, devido ao fato de que Loki havia colocado um feitiço sobre a região que impedia os Deuses de usar seus poderes lá. No entanto, Júpiter apelou ao amor de Loki por Vênus quando ela foi capturada pelo sultão de Cassarobia e o convenceu a remover o feitiço, poupando Vênus de se juntar ao harém do sultão.[11] Júpiter mais tarde ajudou Vênus novamente, a libertando do controle hipnótico do Cigano hipnotizador Roberto. Mais tarde ele, permitiu que Vênus procurasse a ajuda de Marte e Thor para impedir o insano inventor John Dark e seu exército mecanizado, e novamente de Thor quando a Terra estava sendo aterrorizada pela Morte Rastejante.[12] Vênus também procurou o conselho de Júpiter antes de realizar uma missão no planeta Marte. Júpiter ajudou Vênus quando ela quase foi estrangulada até a morte pelo Raoul Hamud, a teletransportando para o Olimpo, a fim de salvar sua vida. Mais tarde, quando Vênus capturou Adônis após ele causar caos na Terra, ela o entregou a Júpiter para receber sua punição.[13]

Logo após, Zeus parou de oferecer sua ajuda a Vênus, por razões não explicadas. Ele eventualmente retornou a usar seu tradicional nome Grego após esse período.

Era Moderna

Zeus continuou como o governante dos deuses Olimpianos e do próprio Olimpo, bem como um forte aliado dos Asgardianos. Ele criou a Corporação Olímpia para manter uma pequena presença na Terra.

Um futuro alternativo do século 24 foi vislumbrado, onde Zeus e os outros deuses Olimpianos, com exceção de Hércules, deixaram o Olimpos e foram para outro plano de existência. Hércules ficou para gerar uma nova raça de deuses. Se os deuses do Olimpo viriam a ter tal fim em nosso universo ainda é ainda desconhecido.

Recentemente, Zeus liderou os deuses do Olimpo na batalha contra as forças de Mikaboshi. Com a ajuda dos deuses restantes do panteão Japonês, o qual havia sido atacada e dizimado pelas forças de Mikaboshi, os Olimpianos foram vitoriosos. No entanto, Zeus sofreu ferimentos graves na luta contra Mikaboshi e acabou morrendo.

Seu irmão, Plutão, o tomou como prisioneiro e o colocou em um julgamento, para ser julgado por todos os seus velhos inimigos e outros vilões. Apesar de Hércules defender seu pai e das palavras de Zeus (que sem Zeus, como Deus, suas vidas seriam governadas pelo acaso cego), o júri decidiu contra Zeus, e ele foi forçado a beber as águas do Rio Lete, o qual apagou suas memórias e retornaram seu corpo ao de uma criança. Ele escapou com Hércules e resolveu se esconder de Hera até ter crescido. Embora sem a sua outrora grande força, ele manteve sua capacidade de controlar o tempo e invocar relâmpagos poderosos o suficiente para ferir trolls e outros monstros.

Ele foi recentemente devolvido à sua forma anterior de um adulto após os acontecimentos da Guerra do Caos e governou os Olimpianos do novo Monte Olimpo. Quando Hulk tentou forçar Zeus a ajudar sua família, Zeus zombou de seu heroísmo e deu aos golias verde uma humilhante derrota em batalha, mas permitiu que seu filho Hércules resgatasse o Hulk, acreditando que nenhum tormento que desse a ele poderia ser pior do que simplesmente ser o Hulk.[14]

Tabela de Poder [17]
Inteligência*
Força*
Velocidade*
 3
Resistência
Projeção de Energia
Habilidades de Luta
* Inteligência aumentada com consciência cósmica; Força aumentada quando aprimorada por energia; Teletransporte

Poderes

Zeus possui os atributos sobre-humanos convencionais de um deus Olimpiano. No entanto, como Skyfather dos deuses Olimpianos, muitas dessas habilidades são imensamente superiores das possuídas pela grande maioria de sua raça. De fato, em histórias recentes ele conseguir derrotar O Hulk e Galactus em combate (embora seja importante notar que Zeus estava possuído pelo Rei do Caos durante sua luta contra Galactus). Thanos, com a Manopla do Infinito, recentemente classificou Zeus no mesmo nível de poder de Galactus e Odin.[15]

Força Sobre-Humana: Assim como todos os Olimpianos, Zeus possui força sobre-humana. Sua força é bem superior à maioria da sua raça, sendo capaz de erguer mais de 100 toneladas, sem aprimorar sua força com seus outros poderes. Ele é, fisicamente, o segundo mais forte dos Olimpianos, sendo superado apenas pelo seu filho Hércules. No entanto, ele pode ultrapassar Hércules, se fortalecendo com seus outros poderes, até mesmo conseguindo vencer o Hulk em um combate corpo a corpo.[16]

Velocidade Sobre-Humana: Zeus é capaz de correr e se mover a velocidades muito maiores do que até mesmo do melhor atleta humano.

Agilidade Sobre-Humana: A agilidade, equilíbrio e coordenação motora de Zeus foram aprimorados à níveis muito superiores aos limites naturais até mesmo do melhor atleta humano.

Reflexos Sobre-Humanos: Os reflexos de Zeus foram consideravelmente aprimorados e são muito superiores aos limites físicos naturais até mesmo do melhor atleta humano.

Vigor Sobre-Humano: A fisiologia altamente avançada de Zeus não gera praticamente nenhuma toxina de fadiga durante atividades físicas. Como resultado, ele possui um vigor sobre-humano quase ilimitado. Seu vigor só é igualado entre os Olimpianos por seus irmão Plutão e Netuno e seus filhos Ares, Hércules e Hermes.

Tecido Extremamente Denso: A pele, músculo, ossos e todos os outros tecidos corporais de Zeus possuem 3 vezes a densidade dos mesmos tecidos no corpo de um ser humano. Isso contribui, de certa forma, para a força e peso sobre-humanos de Zeus.

Resistência Sobre-Humana: O corpo de Zeus é extremamente resistente a todas as formas de ferimentos físicos, muito mais do que a maioria de sua raça. Ele é capaz de suportar grandes forças de impacto, exposição a temperaturas e pressões extremas, quedas de grandes alturas e poderosas rajadas de energia sem sofrer danos. Sua resistência a ferimentos, dentre os Olimpianos, é somente igualada por Plutão.

Fator de Cura Regenerativo: Assim como todos os Olimpianos, caso seja ferido, Zeus é capaz de se curar com velocidade e eficiência sobre-humana. Ele é até mesmo capaz de regenerar membros ou órgãos perdidos se necessário. Entre os Olimpianos, seus poderes de cura são igualados somente pelos de seu irmão Plutão.

Auto Sustento: Zeus é quase totalmente auto-sustentado. Ele não necessita de ar e não precisa se alimentar ou beber.

Imortalidade: Assim como todos os outros Olimpianos, Zeus é praticamente imortal. Ele é imune ao envelhecimento e não tem envelhecido desde que atingiu a idade adulta. Ele não pode morrer por nenhum meio convencional. Zeus é também imune a todas as doenças e infecções Terrestres conhecidas.

Manipulação de Energia/Eletrocinese: Zeus possui vastos poderes energéticos de natureza desconhecida, os quais superam os poderes energéticos
Arquivo:Zeus Panhellenios (Earth-82432).jpg
de qualquer outro deus Olimpiano. Aparentemente mágicos em forma e função, esses poderes podem ser utilizados para inúmeros propósitos. A habilidade de Zeus de gerar grandes quantidades de energia elétrica e a lançar de sua mão sob a forma de raios tornou-se sua marca registrada, e sua habilidade de manipular raios mostrou-se muito superior que a de Thor Odinson. Zeus pode gerar e manipular outras formas de energia também. Apenas algumas formas em que Zeus pode utilizar suas habilidades sobre-humanas são conhecidas. Entre elas, está a capacidade de aprimorar sua força e resistência física e o encantamento de seres vivos ou de objetos. Zeus pode criar aberturas interdimensionais pelas quais ele pode transportar a si mesmo e até mesmo todo o exército Olimpiano. Ele pode projetar sua imagem, voz e raios de energia da dimensão Olimpiana para a da Terra. Zeus pode mudar sua forma para a de outros seres humanoides (como quando ele personificou Anfitrião, o marido da mãe de Hércules, Alcmena), de animais e até mesmo de objetos.

Projeção de Energia: Além de ser capaz de manipular energia, ele pode a projetar em grandes quantidades de maneira ofensiva ou defensiva. Sua projeção de energia é forte o suficiente para se igualar à de Odin e Galactus ou para destruir galáxias inteiras. No entanto, seus poderes ainda são inferiores aos de seres de níveis universais, como Eternidade.

Precognição: Zeus também possui habilidades precognitivas limitadas, e em tempos antigos era o patrono de um oráculo em Dodona, através do qual ele proferia profecias.

Habilidades

Zeus é um formidável combatente corpo-a-corpo e é particularmente habilidoso em utilizar suas vastas habilidades de manipulação de energia em situações de combate.

Nível de Força

Classe 100+: Zeus é capaz de erguer mais de 100 toneladas sem precisar aumentar sua força com seus outros poderes.




Transporte

Teletransporte dimensional utilizando seus próprios poderes.

Armas

Relâmpagos criados por Hefesto.

  • Assim como os humanos, um Olimpiano pode ser mais forte e pesar mais dependendo de seu atual nível de condicionamento, o qual varia dependendo do atual regime de treinamento do Olimpiano. Em seu estado mais fraco, ele poder erguer cerca de 90 toneladas e pesa apenas 254 kg, enquanto em seu estado mais forte, pode erguer mais de 100 toneladas e pesa exatamente 300 kg, com uma musculatura perfeita e ideal, com esse peso sendo resultado dos seus ossos, pele e músculos Olimpianos extramente densos.
  • Embora o cabelo de um Olimpiano não mude após ele atingir a idade adulta, Zeus foi algumas vezes visto com cabelo longo, devido aos seus poderes de metamorfose.

Explore e Discuta

Notas de Rodapé

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.